TENDÊNCIA PROFISSIONAL


Quando se “foge” da real tendência profissional

A escolha da profissão é um processo que depende dos scripts de vida da pessoa. “Saber o que quer”, normalmente, não é suficiente, e o Laudo Parapsicométrico mostra. Veja um exemplo:

Tendência profissional principal:

Ator judiciário (advogado): 90% (excelente vontade)
QI verbal (capacidade de comunicação): 85% (comunica-se bem), entretanto …

Sociabilidade.........................................................15% (tem sentimento de inferioridade)
Masculinidade (identidade).....................20% (tem identidade fraca)
Valor profissional (persistência)............10% (desiste facilmente)
Afetividade..............................................................25% (não se ama devidamente)

Neste caso, o script (roteiro de vida) desta pessoa é:
“mereço fracasso nas relações sociais”
“mereço fracasso como homem (ou mulher)”
“mereço fracasso como profissional”

O resultado será que, por causa deste script, esta pessoa “escolherá” profissões em que não tenha que lidar com seus bloqueios. Evitará ser advogado para não ter que enfrentar juízes, promotores, colegas, e procurará, via de regra, profissões como administração (de fábrica, escritório, etc.) ou agronomia (lidar com plantas e animais).

O que fazer?

Para escapar desta "armadilha", é preciso modificar os scripts negativos: via terapia, reprogramar seus scripts:
“valorizo-me socialmente, mereço sucesso social”
“valorizo minha identidade, mereço sucesso como homem”
“valorizo-me profissionalmente, mereço sucesso profissional”
“valorizo-me afetivamente, mereço sucesso no amor”


Vocação e Profissão


O LP, até o momento, é o único instrumento que tem resposta suficientemente científica do mistério das opções humanas. O espírito é objeto dificílimo para a análise laboratorial.

Os Testes ditos “Vocacionais”, na prática, não indicam a Vocação e nem a Profissão. Para alertar e prevenir, mormente, os estudantes, para que não “escolham” a Profissão errada, é que estruturei o LP, contendo Gênios (ou superdotados) e Talentos, em percentual, os quais ajudam na escolha da Vocação e da Profissão.

1. VOCAÇÃO: A vocação é um estado de espírito…do latim: vocatio (=chamado). Dentro da Vocação a pessoa precisa escolher e seguir uma Profissão.

Motivação:

A vocação atende ao aperfeiçoamento moral. Atende às imposições do superego, baseado sobretudo numa necessidade ética superior, uma exigência do espírito. Na vocação não há férias, licença-prêmio ou aposentadoria, coisas que ocorrem na profissão. Existem 4 estados vocacionais: matrimonial, sacerdotal, religioso e celibatário.

2. PROFISSÃO: A profissão é uma tendência de espírito. A profissão certa é uma realização de uma tendência do inconsciente. Baseia-se sobretudo na tendência da mente que vai ao encontro das exigências inconscientes e, com isto e dentro disto, a pessoa logra ajustar-se, equacionar-se como homofaber, isto é, o homem que elabora, fabrica instrumentos, coisas, presta serviços ou “conquista” a natureza.


DESAJUSTADO PROFISSIONAL:


Temporário: não se definiu. Está em conflito com problemas do mundo interno, aguardando ajustamento ideal.

Permanente: passa a vida sem conseguir equacionar os problemas do mundo interno e externo: morre na frustração.

Motivação: A opção da profissão tem motivação superficial (consciente) e profunda (inconsciente). A Psicologia e a Parapsicologia possuem técnicas científicas para orientar o candidato na escolha da profissão ideal.

3. ATOR: A palavra fala por si: o papel que a pessoa representa no palco da vida. A maioria dos designativos de ATOR não carece de explicação: ator político, judiciário, tecnológico, pedagógico, literário, artístico.

4. PROGRAMA IDEAL: A escolha adequada da vocação e profissão realizará o Ator no seu cargo, tendo, em decorrência, uma vida feliz pelo alcance dos seus objetivos e ideais. Esta é a meta principal do Laudo Parapsicométrico.

Nota: Tradução indevida da palavra “vocatio” … Existe equívoco generalizado, inclusive entre a maioria dos profissionais do ramo da Psicologia, quanto ao uso técnico das palavras Vocação e Profissão. Isto deve-se à tradução ambígua da palavra “vocatio” (do latim para o português), por uma deturpação semântica da palavra latina, cuja etimologia se prende a “vocare” (chamar), ou seja, aquele que é chamado a um determinado estado de vida permanente, por uma exigência do inconsciente.

Logo, o modo correto é usarmos a palavra “vocação” quando queremos indicar estado de vida permanente (matrimonial, sacerdotal, religioso, celibatário), e usarmos o termo “profissão” quando queremos representar uma das 13 Tendências Profissionais básicas (Ator político, Ator judiciário, Ator securitário, Ator sanitário, Ator administrativo 1, Ator Administrativo II, Ator administrativo III, Ator tecnológico, Ator pedagógico, Ator literário, Ator artístico, Ator lúdico, Ator sensitivo.


Orientação Profissional


O Instituto Longhi, há 60 anos, via LP (e 7 DP), Classifica e Orienta candidatos do Brasil (e Exterior)...

Saiba Mais

Parapsicologia

É a Parapsicologia o alicerce da Psicologia? Sim, porque as mensagens não verbais são as mais profundas, as quais “funcionam” desde o início da Concepção. São pensamentos (gestos, atitudes)...

Saiba Mais