Por que e como criei o LP?

... O exemplo, reduzido
em pequeno volume aqui te dou
do mundo aos olhos teus, para que vejas
por onde vás e irás e o que desejas.  
(Camões, X, 79)
Eis o "retrato" do LP, previsto por Camões (1525 - 1580), há mais de 400 anos, numa Precognição.
Quanto maior o bloqueio, se for superado, maior a realização
Artemio Longhi confirmando a Precognição de Camões

Eu tinha quatro anos de idade e meu irmão oito. Ele sabia ler e escrever e era tido como um gênio. Fazia tudo certinho e só recebia elogios. Logicamente eu ficava frustrado. Quando ninguém estava olhando, eu quebrava um copo ao pé dele e corria para avisar que ele quebrara o copo. Ficava a dúvida: quebrou? não quebrou? De qualquer jeito, não deve ser tão gênio assim...

E pensava: “vou rebaixar o conceito dele” … Meu script era de agressão, de competição. Assim foi até os 14 anos.

Apesar de minha vivacidade (como afirmavam), não aprendia a ler, não estudava.

Meu pai tinha empregados. Uma tarde, vi um deles com a calça rasgada no joelho esquerdo. Fiz gozação com ele.

E ele me disse: “Um dia você também vai usar calça rasgada, porque você é como eu, não sabe ler. E é por isso que sou empregado de seu pai”.

Respondi-lhe: “Eu não usarei calça rasgada …”

Na semana seguinte, um Educador Marista, “casualmente”, passou em casa e convidou-me para estudar no Colégio Divino Mestre, em Veranópolis, RS. Fui e aprendi a ler numa tarde.

Aquele empregado de calça rasgada provocara em mim um “insight“. Em resumo, “virei do avesso”.

A partir daquele momento, comecei a viver a verdade, discernindo-a das fantasias, compreendendo com clareza e realidade.

Daí em diante o meu ” script ” não foi mais de perdedor, mas de vencedor: comecei a ler aos quatorze anos, iniciei a Faculdade aos trinta, com trinta e quatro lecionava na mesma Faculdade (sem ter concluído o curso), aos trinta e cinco, o Departamento de Estado Americano agraciou-me com uma “Travel Grant”, via Fulbright Commission – Governo Kennedy – e fui lecionar em New York no Mt. St. Michael Academy e Marist Hall. E a PAN AMERICAN FOUNDATION colaborou com uma “Grant-in-aid”.

Antes de voltar ao Brasil, o INSTITUTE OF INTERNATIONAL EDUCATION (New York), através do CENTER FOR INTERNATIONAL VISITORS , ofereceu-me o INTERNATIONAL “VISIT USA” e assim pude viajar “Ninety nine days ” for ” Ninety nine dollars ” por 40 Estados americanos, 34 Universidades, Canadá, México…

Fui à Europa seis vezes, convidado por Entidades Educacionais e Científicas para dirigir Congressos, Cursos, Conferências e Consultas. Escrevi, até hoje, oito livros e comunico-me em seis idiomas.

A Câmara Municipal de São Paulo outorgou-me a Medalha Anchieta e o Diploma de Gratidão da Cidade de São Paulo, como Fundador da Parapsicologia Educacional.

Enfim, até o momento atendi a dez convites internacionais, sempre motivados pelo LP e para divulgar a Parapsicologia Educacional, focalizando, mormente, a fase fetal e sua decisiva influência na formação do ser humano.

Trabalhei por idealismo, durante 15 anos, no campo da Educação, da Ciência e da Pesquisa Educacional, junto aos Educadores Maristas.

Em 1998, fui eleito ” MAN OF THE YEAR 1998 ” pela ABI (USA); e em 1999 fui eleito MEMBRO da Diretoria do ISRICA ( International Scientific Research Institute of Cosmic Anthropoecology ), da Rússia, e convidado a representar o Brasil (19 a 20/10/99), no Congresso Internacional de “Geocosmic Anthropoecology in the third millennium”, organizado por essa entidade russa.

Este meu depoimento é para mostrar aos jovens que, se programarem bem seu futuro, poderão fazer verdadeiras maravilhas. Do contrário, passarão a engrossar o número dos profissionais fracassados.

De um modo geral, quando falamos em “script” de vida, referimo-nos a condicionamentos familiares, mensagens que são introjetadas pela criança.

Para significar a libertação desses condicionamentos, ou seja, a autonomia, usaremos o termo “plano de vida”: a pessoa torna-se livre do “script”, escolhe suas próprias metas, assumindo responsabilidade por sua própria vida.

Einstein, filósofo, místico, gênio, ganhou o Prêmio Nobel de Física por sua contribuição à Teoria Quântica, com a descrição, via intuição, do Efeito Fotoelétrico, e não por sua. Teoria da Relatividade.

Ele mesmo afirmou categoricamente: “Eu penso 99 vezes e nada descubro; deixo de pensar, mergulho em profundo silêncio – e eis que a verdade me é revelada”.

Camões deixou ensinamentos elevados em várias ciências, também via intuição , mormente quanto à precognição , pois que vislumbrou, com quatro séculos de antecedência, todos os conflitos e impasses desta civilização materialista e consumista.

Também elaborei o LP via intuição, por ter percebido que precisava criar algo de novo e não entrar em profissão comum, seguindo regras de um grupo, sendo um número a mais em multidão monótona.

  Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,
muda-se o ser, muda-se a confiança;
todo mundo é composto de mudança,
tomando sempre novas Qualidades.  
(Camões, Sonetos)
Camões antevendo a Parapsicoterapia
Experiência própria

Qual o valor dos testes tradicionais, importados e desatualizados?

Submeti-me por 2 vezes a estes testes …
Resultado: “…o teste revela tendência para 8 (oito) Profissões principais…; e com certa reserva para mais 6 (seis)…"
Conclusão: posso seguir 14 profissões? … qual é a ideal?

Trabalhei por 10 anos com testes tradicionais, importados e desatualizados, com o Psicólogo francês Martin Dubois… observava a insatisfação de 70%, aproximadamente, dos Candidatos.

Por isso resolvi “fabricar” o Instrumento LP e os 7 DP, para orientar, com segurança, o Examinando na Escolha da Profissão ideal.

Inconscientemente criei o LP e o “Teste dos 7 Desenhos”, para “provar” ao mundo (ou melhor, a mim mesmo) que também sou inteligente (“gênio”, como se dizia de meu irmão).

Criando o LP, dirigi minhas energias para a realização em prol de meus semelhantes e, com isso, evitei frustrações, fracassos e doenças.

Um dia decidi: ou construo meu próprio Instrumento, ou deixo de trabalhar com Orientação Profissional.

E, em 1948, iniciei o plano, comecei a “construir ” o LP e o “Teste dos 7 Desenhos”.

No laboratório de Parapsicologia da Duke University, com o Dr. J.B.Rhine, estruturei os Testes dos Gênios (Superdotados) e na Fordham University, os Testes dos Talentos (QI); mais tarde, em Lisboa e em São Paulo, concluí o plano com o Quadro das Tendências Paraprofissiométricas; enfim, um conjunto de 45 ângulos personalísticos .

Estava pronto o LP. Note-se, porém, que este é um Instrumento revolucionário e flexível, podendo ser enriquecido com novos ângulos, conforme a evolução das tendências da sociedade.

Certo dia, em sessão de Parapsicoterapia, a intuição me disse: “Faça um gráfico percentual e dê ênfase primeiro às potencialidades dos candidatos, conscientize-os dessas potencialidades e, depois, diplomaticamente, aponte os bloqueios, e como eliminá-los a curto prazo”.

Daquele dia em diante minha clínica tem estado sempre repleta de clientes. Apontando as qualidades, é mais fácil remover os defeitos; o candidato adquire confiança e colabora para se desbloquear, para entrar no caminho da realização.

Com o LP e o “Teste dos 7 Desenhos”, exerço minha profissão sem concorrentes, mas com amigos, adeptos e discípulos. Não se fomentam rivalidades, mas convergências. O LP abre caminhos, não para a fossilização competitiva, mas para a dinâmica da criatividade e para uma vivência solidária, única forma eficaz de realização.

Em suma, via insight, houve a mudança do meu script e, assim, aos 37 anos, criei a estrutura profissional que realmente queria seguir: Parapsicólogo, Professor Universitário de Psicologia, Pesquisador, Conferencista, Escritor, Parapsicoterapeuta…

Hoje, meus principais Instrumentos de trabalho no consultório são: LP, “Teste dos 7 Desenhos Projetivos“, Dactilodiagnose , os quais, via intuição , me dão absoluta segurança na Orientação Profissional Integral do Examinando , cujo resultado é percentual, dado por escrito , assinado ( gravado quando acordado).


SCRIPT e INSIGHT

1. SCRIPT: (roteiro de vida): é um plano pré-consciente de vida, decidido na gestação e na primeira infância (até os sete anos), sob influência dos pais e outras figuras parentais. As forças que o compõem são mensagens verbais e não verbais; estas últimas são mais profundas e decisivas (comunicação mente a mente). O bebê que se sente aceito, desejado, amado, estrutura inconscientemente um roteiro positivo; e, o que se sente agredido, rejeitado (quanto ao sexo ou quanto à sua própria vida), elabora um roteiro negativo, destrutivo com o qual punirá os pais (ou um deles).

2. INSIGHT: É sentir e viver a verdade, realidade. É compreensão repentina, em geral intuitiva, de suas próprias atitudes ou situações… É “Estalo de Vieira”. Tive um “Insight”, “Agora consigo viver a realidade”; “Vivo a verdade”; “Cresci”, “Virei do avesso”. Sinto-me um passarinho fora da gaiola.


1. Certa família morava debaixo da ponte, o pai bebia e a mãe era omissa; nasceram três filhos e todos foram parar na FEBEM, onde ficaram dez anos. Hoje, um é juiz (a família e a sociedade foram injustas comigo, mas eu vou provar como se faz justiça); o outro é traficante (fui “roubado” no amor e nos bens materiais, mas “vingo-me” destruindo os privilegiados por meio das drogas); e o terceiro é alcoólatra e vive na sarjeta (não tive “leite materno bom”, mas “vingo-me” bebendo “leite envenenado” para agredir a sociedade).

Três scripts bem diferentes, originários do mesmo ambiente: um vencedor e dois perdedores.

2. Pe. Antônio Vieira: insight (mudança de script)
Fato histórico: seminarista bloqueado, nada aprendia. O Reitor ia mandá-lo para casa. Mas ele tinha um objetivo: ser Padre-pregador. Foi pedir inteligência à N. Sra. E, deu-se o” estalo de Vieira “. Tornou-se o 1º aluno do Seminário. Depois, o mais famoso orador sacro da Europa e Brasil. Cognominado:” Príncipe dos oradores sacros “. Viveu 89 anos. Era o pregador do reino (e corte) de D. João VI. Escreveu Os Sermões, Cartas, etc.

3. “Preciso fundar a Parapsicologia Educacional”: insight
• Como consegui pesquisar no Laboratório de Parapsicologia e Psicologia da Duke University, com o Dr. J. B. Rhine, e introduzir a Parapsicologia Educacional?
• Maio de 1962. Lecionava em Salvador no Colégio N. Sra. da Vitória. Tarde chuvosa. Pensei: quero introduzir a Parapsicologia Educacional. Ir aos USA estudar com Dr. Rhine.
• Não tinha o endereço dele, nem a passagem, nem dinheiro. Fui ao Consulado Americano e perguntei pelo Diretor Cultural.
• Bata nesta porta, Mr. Rivera pode atendê-lo. –“Come in”! Ele estava lendo uma carta…Olhou-me e disse-me, sorrindo: “ Is this one” ? Era uma carta do Dr. Rhine. Entre seis bilhões de pessoas, encontro o colega de infância e amigo do Cientista que eu procurava.
• Mr. Rivera: “I would like to have Dr. Rhine’s address”…
• Acaso? – Não. O acaso não existe. Foi a intuição.
• Leve-a e responda por mim… Oito dias depois recebia o “ SIM ” do Rhine: “avise-me 8 dias antes e lhe darei: board and room”.
• Creio que mais uma vez a intuição abriu o meu caminho profissional…estava realizado um sonho ardentemente sonhado: elaborar os testes dos Gênios (superdotados) e dos Talentos nos USA.


Artemio Longhi


Artemio Longhi é o Autor do Laudo Parapsicométrico (LP), 7 Desenhos Projetivos (7DP) e Parapsicoterapia.
Professor de Psicologia, Introdutor da Parapsicologia Educacional e Parapsicoterapeuta, é reconhecido nos meios científicos da Parapsicologia e Psicologia, no Brasil e no Exterior.

Saiba Mais

...

Laudo Parapsicométrico

O Laudo Parapsicométrico....

Saiba Mais